Chuva

chuva cai sobre minha cabeça
me molha por fora
me lava por dentro
um presente dos Céus
nesta noite abafada
de primavera

desabrigado, eu sei
mas sem culpas
sem explicações
livre pelos caminhos
que os riscos dessa chuva
traçam à minha frente

e não tenho pressa
não evito as poças d’água
um tanto errante
encharcado, desfruto
cada instante as gotas
desse soro que me aviva a alma


Autor: Luciano Motta

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s