Arquivo da tag: amor

Esteio

Se eu quiser
na cruz permanecer
devo me apoiar
nos cravos

Para não retroceder
e aos cravos ceder
devo me apoiar
no amor

A beleza se sustenta
no destemor de ser ferido


Autor: Luciano Motta

Anúncios

A vida vem do alto

A vida vem do alto
Na saudação do astro rei
Aquece meu dia, me ilumina
Como seu sorriso de menina

A vida vem do alto
Pelo orvalho da manhã
Gotejado no secreto, sem alardes
Como seus beijos em minhas tardes

A vida vem do alto
No carinho de quem cuida
O olhar de baixo para cima
Como em seus braços me arrima

A vida vem do alto
Pela certeza de Deus
Seu amor é grande assim
Como você, um presente Dele para mim


Autor: Luciano Motta

Amor que nos faz um

Sua bandeira sobre mim é o amor

O fogo ardeu, o anjo falou
Onde está o amor?
A glória se foi, a chuva molhou
As palavras que ainda antes o amor me mostrou
Nunca é tarde demais, não
Nunca é tarde demais
Pra descobrir o amor que vai além dos meus versos
E parece dizer, é o Senhor quem pergunta
Onde está você?
Que diz que me adora, mas não estende a mão

O amor que nos faz um
O amor é o que nos faz um
O amor se revela a mim
Como uma bandeira, verdade e graça
Um mandamento, e a nossa canção

O amor que nos faz um
O amor é o que nos faz um
O amor se revela a mim
Como uma bandeira, verdade e graça
Um mandamento, e a nossa ação

Autor: Letra e música de Marcos Oliveira de Almeida, do Palavrantiga (volume 1, 2008).

Sem querer interferir na sua leitura, veja como no começo da canção há várias referências ao movimento de “avivamento” que a igreja brasileira vivenciou no início dos anos 2000. Houve fervor, experiências, mas faltou finalidade, ação (sobre isso, leia o texto de Victor Vieira). Mas a canção evoca uma esperança: “Nunca é tarde demais” quando se tem o amor de Deus. Essa bandeira vale a pena levantar.