Arquivo da tag: pós-modernidade

Cola-gens

faço eu mesmo
minhas próprias pessoas
salvo minhas escolhas

há quem escute
meus scraps no orkut
escapes do real
facebook e centenas de amigos
simpáticos aos seus próprios umbigos
caras de pau

há quem acredite
em meus ícones de carbonite
personagens alheios
simulacros de imagens
de minhas próprias pilhagens
e devaneios

tanto me preocupei
em parecer o que idealizei
que sinto falta de mim mesmo


Autor: Luciano Motta

Anúncios

monoliticidade

ruas monótonas
monocromáticas
tão vívidas quanto um fax
paleta de brancos, de pretos e cinzas
e o amarelo desbotado de um táxi

esquinas monódicas
monotemáticas
emboca o artista seu sax
em sonoridades melancólicas
de uma miséria assaz

praças monumentos
monárquicos
berço esplêndido de tanta gente
terras de pombos e plebes
e uma nobreza poente

tempos mudos
monossilábicos
geração de uma angústia premente
intransponível faixa dupla contínua
do asfalto presente


Autor: Luciano Motta

Uníssono

Um jovem.
Um bom casamento.
Um trabalho digno.
Um razoável orçamento.
Uma decisão.
Uma fé.
Um dedicado coração.
Um domingo qualquer.
Uma decepção.
Uma palavra dura.
Uma nova desilusão.
Uma enraizada amargura.
Um choro sem lágrimas.
Um ano de silêncio.
Um telefonema.
Um convite.
Uma mesa de bar.
Uma cervejinha.
Uma roda de amigos.
Uma caixa inteirinha.
Uma carona pra casa.
Um bate-boca danado.
Um filme repetido à exaustão.
Uma saudade que não passa.
Uma vida em desconstrução.
Um retorno que fracassa.
Um homem comum agora, mais um.


Autor: Luciano Motta